Maison & Object 2020

Uma das mais importantes feiras de design completou sua 25ª edição este ano. Trata-se de um olhar para o futuro. Uma reflexão sobre as necessidade de um público que está se formando e mudando a forma de morar e consumir.Nascidos nos anos 80 a 90, os Millenials ou Geração Y. Em sua infância, viram a efemeridade e a baixa durabilidade de bens de uma relativa fácil aquisição. O crescimento dos fast food e suas embalagens, as fast fashions e suas roupas descartáveis, os eletrônicos sendo substituídos por outros anualmente, carros e mais carros sendo produzidos. Viveram a superexposição nas redes sociais e trocaram a TV ao vivo pela customização de seu entretenimento.

Imagem © PHOTOPROEVENT

Os nativos digitais da chamada geração Z, nascidos entre 1990 e 2010. Sua maior característica é a sua familiaridade com o compartilhamento de informações e dados de forma digital desde a tenra idade, fluindo intuitivamente entre apps, núvens, edições e compartilhamento.

A necessidade de engajamento destas duas gerações por causas sociais e ambientais orienta suas principais escolhas. Vivem a era do co-work, Uber, Ifood, Blabla Car, fintechs, patinetes e bicicletas. Optam pelo veganismo, pelo brechó, pelo orgânico. É neste ambiente que aconteceu a legalização do casamento de pessoas do mesmo sexo e a revisão das questões de gênero.

Em comum, estas duas gerações valorizam experiências, viagens e cultura, sem a necessidade de provar seu valor pelo simples acúmulo de bens ou mesmo de informações. Se importam com a cadeira produtiva de seu consumo, preferindo consumir através de empresas que contribuam com causas sociais, ambientais e humanitárias.

A curadoria da mostra convidou 3 profissionais influentes para criar espaços setorizados sobre os temas “Care”, “Share” e “Living”. As escolhas de François Bernard, Elizabeth Leriche e François Delclaux estão neste vídeo incrível!

Kartell loves the Planet

A italiana Kartell marcou presença através de sua flagship em Paris. Pontuou o evento com o lançamento de seu manifesto industrial que enfatiza o comprometimento com a sustentabilidade e respeito a natureza.

O manifesto enfatiza os produtos Kartell como “ timeless”, pertencentes a uma cultura, presentes em museus de design e arte, e nos ativos de colecionadores. Não ser um produto descartável e sim, para ser guardado como memoriabilia.

São 3 novidades que marcam este manifesto.

A Smart Wood, linha de cadeiras e poltronas que usa uma finíssima camada de madeira moldada em 3D, criando curvas nunca antes vistas em uma chapa de madeira. Com o selo FSC – Forest Stewardship Council – que atesta que a madeira usada nas Smart Woods são provenientes de uma cadeia sustentável.

Bio –  inovação, a primeira fábrica de móveis a usar um “novo plástico” que não é plástico!

A Kartell tem investido pesado em pesquisas de matérias primas sustentáveis e que resultem na menor poluição possível.

Componibili feitos de BIO

Faz parte da evolução e aprimoramento do design apresentar produtos resistentes e de valor estético atemporal, e assim criar um ciclo de vida de valor, longo, evitando estimular o comércio de produtos descartáveis e poluentes. Foi assim que surgiu BIO, uma biomassa criada através de micro-organismos que agem quimicamente sobre rejeitos de produções agrícolas que não seriam utilizados na confecção de alimentos, ou seja, rejeitos mesmo. Aprovado pelo USDA (departamento de agricultura nos Estados Unidos), o material é biodegradável em água e no solo.

O primeiro produto Kartell a ser feito com este bio plástico não podia ser outro senão o best seller Componibili, de 1967, por Anna Castelli Ferrieri.

Conheça as contribuições da designer clicando aqui!


Claudio Luti, CEO da Kartell ao lado do designer francês Philippe Starck

A.I. é a cadeira feita 100% usando materiais reciclados.

É o resultado do aproveitamento total de produtos descartados que ativa um elo chave na economia circular.

Desenhado para utilizar o mínimo possível de matéria prima sem modificar sua resistência e beleza.

Tendências 2020

Formas Orgânicas

Abaixo ás linhas retas, formas geométricas e cantos angulados. Gostoso mesmo é ver formas fluidas, agradáveis ao olhar.

Texturas naturais e inconformidade

Um ode a imperfeição. Trabalhos manuais, artesanatos, texturas e tramas são valorizadas como um retorno á terra, ao barro, á palha.

Cores Vibrantes

A força do colorido que une tons terrosos, azuis e cores complementares. Sem excessos, sem exageros, a monotonia fica de lado.

Dourados sem ostentação

Tons dourados, sejam em ouro ou latão, enriquecem peças, ás vezes simples, outras vezes imperfeitas.

Michael Anastassiades – O designer do Ano!

Pela primeira vez Michael Anastassiades apresenta suas 16 peças da coleção Mobile Chandeliers juntas, numa montagem movida a motores que trazem o movimento suave tal qual os planetas no universo.

Anastassiades foi eleito o “Designer of the Year” Ele participou da feira pela primeira vez em 2007, quando lançou sozinho sua marca levando ao público uma coleção de formas simples e geométricas.

“Para desenhar a luz primeiro é necessário abraçar a escuridão”.
Michael Anastassiades

O designer defende que a luz é uma ferramenta para não apenas iluminar como um dia, mas criar um ambiente acolhedor.

O arquiteto belga Ramy Fishler , radicado em Paris, foi responsável pelo experimento de convivência numa casa conceito. um co -living inspirado num futuro próximo.

A Maison&Object tem duas edições, uma em janeiro e a segunda, em setembro. Vamos ver o que nos espera?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.