A Mágica da arrumação de Marie Kondo

Certamente você já sentiu uma grande necessidade de colocar ordem na casa antes executar uma tarefa profissional importante. É a sua intuição mostrando que vc precisa melhorar a energia em seu redor.  

Você já entrou na onda da arrumação encabeçada pela japonesa Marie Kondo? Ainda não? Então prepare-se para mudar a energia da sua casa, e consequentemente muita coisa em sua vida! Acredite, coloque em pratica e note as mudanças acontecerem!

Marie Kondo é uma japonesa de apenas 34 anos e já vendeu mais de 7 milhões de copias de seus livros. Ela acredita que devemos estar cercados somente de objetos que nos tragam alegria usando uma análise intuitiva, muito particular a ser desenvolvida em cada um, através de uma espécie de treino ao longo da arrumação.

A Mágica da Arrumação de 2011 e Isso me Traz Alegria de 2012

Seu método, chamado de KonMari, propõe que a organização comece com o descarte dos itens que não carregam mais boas vibrações. Mas… como receberemos este sinal intuitivo?

Comece pelo que busca em sua vida!

Antes de começar, ela sugere que você idealize o estilo de vida que busca. As atividades que quer se permitir. Os motivos de buscar mais espaço e menos objetos. Perceba o consumismo sem valor.  Uma boa observação que Marie nos propõe é perceber que guardar não é arrumar. Ela compara a esconder a sujeira debaixo de um tapete, mantendo em casa energias que precisam circular. Para abrir espaço e não ter e objetos caindo por nossas cabeça, ela define: o único caminho é descarte!

Para que a energia envolvida na intenção não esmoreça ao longo dos dias e você acabe desistindo do processo, reserve um dia inteiro para começar e terminar a arrumação de um determinado tipo de objeto. A ordem é observar e descartar. O ato de ir organizando ao longo do descarte não ajuda a ter em foco, e a abertura de espaço para guardar acaba desperdiçando a sua energia que deveria estar focada no descarte. Seu método sugere iniciar pelas roupas, que considera itens mais fáceis de decidir entre o que fica e o que vai.

Antes de tudo, agradecer e pedir permissão!

É possível assistir em sua nova série de 8 capítulos disponíveis na plataforma Netflix, Marie Kondo entrar nas casas de seus clientes, pedir permissão e agradecer a oportunidade de fazer as mudanças necessárias para aquele lar. Este pensamento é direcionado para a energia da casa.

Uma coisa de cada vez!

Ela sugere mentalizarmos e conduzirmos a arrumação por tipo de objeto e não por local da casa. Esta ordem consiste na sequência: roupas, livros, papéis, Konomo (escritório, cozinha e eletrônicos) e por últimos, os mais difíceis, os itens sentimentais. Começar por eles é um grande erro, pois demorará mais tempo neles e perderá o foco e energia.

Trecho de
The Life Changing Mangá
of Tyding Up – 2017




­­“ As pessoas têm dificuldade de se desfazer de coisas que ainda poderiam usar (valor funcional), que contêm informações úteis (valor informativo) e com as quais têm laços afetivos (valor sentimental). Quando tais coisas são difíceis de encontrar ou de substituir (valor de raridade), torna-se ainda mais difícil abrir mão delas. “

As roupas vêm primeiro lugar pois possuem critérios mais objetivos de seleção, como aquelas que não nos servem mais, as que caíram de moda e as que não são usados há algum tempo. Todas as roupas que nunca foram usadas, inclusive aquelas que ainda possuem etiquetas, as que já estão desgastadas pelo extremo uso e ainda aqueles moletons e camisetas feias que você acredita que deverá usar somente em casa: todas devem ser destinadas ao descarte. Elas já serviram a você, mesmo as que nunca foram usadas te ensinaram a não comprar por impulso, a não comprar sem provar acreditando que algum dia te serviria. Agradeça a lição aprendida e despeça-se sem pensar duas vezes!

O primeiro passo é buscar por todas as suas roupas por toda a sua casa, inclusive lavanderia, hall e peças em caixas. Tudo mesmo! Coloque-as em pilhas em cima da cama ou do sofá. A intenção é causar choque mesmo! Fazer com que você se questione se realmente precisa deste volume de roupas. Este processo te faz enxergar as peças que possivelmente já tinha esquecido no fundo dos armários e gavetas.

Intuição e auto-conhecimento

Marie sugere nos perguntarmos “does it spark joy?” que pode ser traduzido literalmente como “isso brilha alegria?”. Esta busca tem base na filosofia (e também religião) xintoísta, que credita que animais e objetos possuem alma e que precisamos expressar nossa gratidão pelo papel que desempenharam em nossa vida. Desta forma ela nos ensina que devemos agradecer diariamente o teto que temos, pelo conforto proporcionado pelos objetos que nos cercam.

Inicie a separação começando pelas roupas da próxima estação. Toque todas as peças, acorde sua energia e inicie o exercício de gratidão pelos “serviços prestados” por estas peças e decida pelas que serão mantidas com você – somente as que te trazem alegria! Basta segurar a roupa com sentimento de gratidão, toque-a, sinta se ela já fez o seu papel em sua vida. Se ficar difícil decidir mude a abordagem não pensando nas que serão descartadas e sim nas que serão mantidas. Opte por manter apenas itens que claramente fazem você se sentir bem.  Peças que sabe que serão usadas sem dúvida alguma e que te trarão sentimentos positivos. Sua linha de corte não será mais quais peças serão descartadas e sim, quais serão mantidas. Este pensamento tirará o foco do apego. Obviamente nem tudo vai ao lixo, ou quase nada. Descartar significa achar um destino honrado para estas peças, uma vez que você já demonstrou gratidão e se despediu delas.

Saber dobrar é o segundo segredo do sucesso

Na hora de guardar as roupas que selecionou, Marie sugere mais uma vez usar a intuição. Ela defende que as fibras darão o seu recado indicando quais “pedem” para serem penduradas e quais “pedem” para serem dobradas.

Veja como!

Segundo Marie e seu método, roupas dobradas ocupam menos espaço. O truque é dobrar de acordo com suas técnicas e colocá-las em gavetas de forma que se consiga enxergar todas ao abrir a gaveta ou a porta do armário, uma ao lado da outra, em pé. Seria o equivalente a deitar a pilha de camisetas.

Para guardar as roupas penduradas em cabides, ela sugere pendurar casacos pesados e vestidos longos começando pelo lado esquerdo do armário e ir diminuindo até ter roupas leves e curtas no lado direito.

Livros

Ao seguir para o próximo item, os livros, a técnica continua. Buscar pela casa toda e colocar todos os livros em um único local, preferencialmente no chão e tocá-los para acordar a sua energia e sentir se há prazer ao tê-los. Marie orienta que não fiquemos com livros que não iremos ler. De certa forma, eles causam frustração cada vez que você olha para eles. A lógica é não acumular livros que já foram lidos e seus conhecimentos já aplicados. Ela sugere que apostilas de cursos e livros que sejam material de consulta não entrem neste critério, afinal eles são úteis. Livros de arte, de apelo e deleite visual também podem ser mantidos.

Uma dica é não misturar esta seleção com fotografias e outros itens sentimentais, pois irá tirar o seu foco.

Importante: esconder não é arrumar. Enviar caixas para a casa dos seus pais ou colocar na garagem não é a solução. Não é descarte e você vai acabar se deparando com elas em algum momento.

Papéis e documentos

Marie sugere uma abordagem também para papeis e documentos. Notas fiscais e canhotos de cartões de crédito: Assim que tiver prestado contas a seu “controle de despesa pessoal” e conferido junto ao banco através de seu aplicativo. Jogue-os fora. Manuais de eletrodomésticos, ela sugere jogar fora assim que fizer as instalações do produto. Assim como a sua caixa, o manual só irá ocupar espaço e seu conteúdo está na internet. Mas ela faz uma ressalva, é importante não descartar as notas fiscais e garantias.

Sobre contas pagas, contratos e documentos pessoais, no Brasil, sugerimos manter contas pagas até receber a certidão que atesta o pagamento dos últimos 12 meses. Contracheques, canhotos de talão de cheques, bom, Marie sugere jogar tudo fora. Porém, nós acreditamos que cada um deve estabelecer seu critério de acordo com seus vencimentos. Se for útil e necessário ter controle destas informações, não descarte para aderir ao minimalismo para depois precisar correr atrás destas informações. Apenas ponha em mente um prazo para descarte e faça isso periodicamente.

Verifique e siga a ordem para não se perder!

Komono

Os itens que Marie chama de Komono são objetos diversos tais como bijuterias, maquiagem, ferramentas, instrumentos de hobbies, itens de costura, Cds, Dvds, utensílios de cozinha e etc.. Para eles o processo é o mesmo.  Olhar tudo, identificar itens em duplicidade, os os estragados, sem uso. Ter gratidão, e se te der “sparks of joy!”, você fica. Caso contrário: descarte! Quantas pás de silicone você precisa? Todas estão inteiras? Suas panelas, estão sem cabo? E a panela de ferro que sua avó te deu? Se estiver guardando por motivos sentimentais, coloque junto aos itens sentimentais no fim da fila e passe para frente sem perder tempo. Se ela está inteirinha e funcionando e você a usa com alegria, mantenha sem pestanejar. Avalie com os mesmos critérios que avaliou as suas roupas: você já se acostumou com o método e já consegue olhar os objetos de forma diferente.

O mais difícil fica para o final!

A parte mais difícil são os itens sentimentais, uma vez que o valor deles é difícil de mensurar. Muitos de nós acreditam que o descarte do objeto de valor sentimental é como se desfazer da memória a que ele pertence. Avalie se vale a pena ficar preso ao passado, quem sabe esta energia precisa ser libertada?

Fotografias também, guarde apenas as que te trouxerem alegria. Marie sugere que você selecione as mais importantes de cada viagem e organize um belo álbum. Fotos soltas em sem contextualização perdem seu brilho. Outros itens sentimentais como presentinhos feitos pelos filhos para os dias dos pais e das mães, boletins escolares, cartas de um amor adolescente, reflita “ Devemos celebrar o que somos hoje e não quem fomos algum dia.” E deixe seu coração decidir.

Todos devem participar!

Uma grande dica que Marie nos dá, é que é possível notar em sua série na Netflix é a participação de todos os moradores da casa na seleção, descarte e arrumação. Todos irão perceber que cada objeto terá o seu lugar, e a decisão por este local deverá ser focada na facilidade em guardá-lo, para que não fiquem espalhados pela casa quando precisarem voltar a seu lugar. Itens de uso mais frequente devem ser mantidos mais a mão.

Também observe que não é a toa que sentimos um grande alívio quando nos livramos de objetos e roupas que obstruem o caminho pela casa. A sensação de liberdade trazida pela arrumação produz endorfinas. São os benefícios da higiene mental influenciando nossas sensações e consequentemente, os sentimentos.

Outra dica que ela nos dá é para colocarmos uma bandeja ou bowl em cima do móvel que costumamos deixar as chaves e carteira quando chegamos da rua. Diariamente esvaziar a bolsa é outra de suas dicas, para que seja feito o descarte dos comprovantes de compra e outros papeis para não acumularem.

Mantenha hábitos saudáveis. Tome medidas imediatas para o reparo ou descarte dos objetos que não estiverem mais lhe dando alegria!

Siga Marie kondo no Instagram!

@mariekondo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.